Formação

Além do desenvolvimento de estudos e pesquisas visando o conhecimento, aprofundamento e ensino da Psicanálise, SPP promove a formação de psicanalistas.

Regulada por uma Comissão de Formação (permanente e apoiada pelo Conselho de Psicanalistas da SPP), concebe-se a formação de psicanalistas como o resultado de um processo criterioso, para o qual concorrem três tipos de atividades:
1) A psicanálise pessoal, com membro da SPP ou psicanalista reconhecido pela comunidade psicanalítica;
2) A supervisão de casos clínicos com Psicanalista da SPP ou psicanalista reconhecido pela comunidade psicanalítica; e
3) Os estudos da Teoria Psicanalítica, desenvolvidos inicialmente no Instituto de Estudos Psicanalíticos e/ou em instituição similar e mantidos em grupos de estudo e seminários oferecidos anualmente pela SPP e instituição similar.
O percurso de quem inicia ou se encontra em sua formação na SPP é objeto de avaliação pela Comissão de Formação, através de seu desempenho, medido qualitativa e quantitativamente segundo parâmetros dispostos no Regimento Interno da SPP.
A formação contempla três níveis: o de associado(a) aderente, o de associado(a) efetivo(a) e, finalmente, o de psicanalista da SPP. Para profissionais cujas formações em nível superior não sejam as de Medicina ou Psicologia, acrescenta-se, no início do percurso, um quarto nível: o de associado(a) aspirante, a fim de garantir-se um cuidadoso acompanhamento inicial a futuros(as) psicanalistas que, sem qualquer domínio teórico-técnico prévio no campo dos fenômenos psíquicos, possam estar à altura das exigências para a formação em psicanálise na SPP.
Como é característico de toda prática científica, o trabalho como psicanalista requer formação contínua. Isso significa que todos os sócios são estimulados a uma constante formação, que não se encerra na passagem à condição de psicanalista, mas perdura ao longo de sua vida profissional.